IMIP

Hospital Miguel Arraes


Alimentação saudável ainda é solução no combate ao colesterol ruim


Dia Nacional de Combate ao Colesterol alerta para qualidade de vida

Cerca de 360 mil brasileiros têm colesterol alto e não sabem. A estimativa é do Instituto do Coração (InCor) do Hospital das Clínicas de São Paulo. Quem desconhece ter o problema apresenta 30% mais risco de ser pego de surpresa por um infarto ou um AVC (Acidente Vascular Cerebral), inclusive antes dos 40 anos. O dado pode se tornar mais preocupante ao levar em consideração um levantamento feito pela Sociedade Brasileira de Cardiologia com 800 pessoas de todo o Brasil: quatro em dez brasileiros adultos têm nível de colesterol alto e quase 70% só realizaram o exame após os 45 anos de idade. Nesta quinta-feira, 8 de agosto, comemora-se o Dia Nacional de Combate ao Colesterol. A data foi criada para aumentar a conscientização sobre a prevenção de doenças cardiovasculares.

Produzido pelo fígado, o colesterol é um tipo de gordura essencial na manutenção de funções do organismo, mas seu excesso pode causar doenças. Daí a existência de dois tipos de colesterol: o HDL (do inglês High Density Lipoprotein), que é a gordura boa do organismo, e o LDL (Low Density Lipoprotein), a gordura considerada ruim. O HDL faz a prevenção do acúmulo de gordura no organismo e está ligado diretamente a uma alimentação saudável e à prática de atividades físicas. Já o LDL está presente nas carnes gordurosas, frituras, comidas industrializadas e nos fast foods.
Para Leilane Sales, coordenadora do Serviço de Nutrição do Hospital Miguel Arraes (HMA), em Paulista, é necessário regular a alimentação desde a infância e consumir as gorduras boas para manter a qualidade de vida: “abacate, castanhas, linhaça, aveia, pães integrais e os próprios vegetais. O suco de uva natural, feito com a fruta roxa (Resveratrol), é excelente, bem como a ingestão de carnes brancas, salmão, atum e sardinha, que são ricos em Ômega 3”. Fazer atividade física também é eficaz para elevar os níveis de HDL, retirando os excessos de gordura no sangue e abaixando os níveis de LDL, o colesterol vilão.
Fatores genéticos e sobrepeso também podem levar ao colesterol alto. Porém, mesmo quem não está acima do peso deve realizar exames para avaliar os níveis de colesterol no sangue. O tratamento para controlar os níveis de colesterol começa com alterações no estilo de vida, com a mudança na alimentação e a prática de exercícios físicos. Se não for suficiente, a utilização de medicamentos pode ser necessária, sempre com recomendação médica.


Hospital Miguel Arraes Hospital Miguel Arraes

Estrada da Fazendinha S/N, Jaguaribe, Paulista-PE
CEP: 53.413-000 - PABX: 81-3181-9600/FAX: 3181-9617

 

Governo de Pernambuco